Para atualizações gratis via email: DIGITE SEU EMAIL:

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

A histeria pelo aquecimento global ameaça mais a liberdade do que o comunismo, diz presidente checo


O que está em perigo não é o clima global, mas sim a liberdade. E ela está sendo ameaçada pelos ambientalistas, escreveu o presidente da República Checa, Vaclav Klaus (ao lado), no “Financial Times”. Eles propõem medidas radicais e imediatas. Um filme “documentário” de Al Gore e o 4º relatório do IPCC (United Nations’ Intergovernmental Panel on Climate Change) são armas da ofensiva ambientalista.







Greenpeace promove demolição de prédios junto ao mar, Almeria

As pessoas racionais e amantes da liberdade devem reagir, acrescentou Klaus. Para ele, a histeria do aquecimento global é um exemplo típico da oposição entre a verdade e a propaganda.

“Como uma pessoa que viveu sob o comunismo na maior parte de sua vida — sentenciou o presidente checo — eu me sinto obrigado a dizer que a maior ameaça à liberdade, à democracia, à economia de mercado e à prosperidade hoje em dia é o ambientalismo, não o comunismo. A ideologia ecologista quer substituir o livre e espontâneo desenvolvimento da humanidade com uma espécie de planificação central que agora é chamada de global”. Em outras palavras, eles querem substituir o arcaico dirigismo comunista — “central”— pelo dirigismo “global” ecologista.

Ativistas tentam impedir pesca da baleia


Klaus lembra que qualquer criança aprende na escola que houve variações históricas de temperatura, que houve glaciações, que a Idade Média foi muito mais quente. É preciso resistir a politização da ciência e ao falso “consenso científico” forjado por uma minoria rumorosa de cientistas, e não pela “maioria silenciosa” dos especialistas não ideologizados, concluiu.

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Ambientalistas fanáticos ameaçam de morte cientistas prudentes

Cientistas que questionaram o alegado impacto dramático do aquecimento global receberam ameaças de morte ou estão sendo banidos da comunidade científica, denunciou o diário londrino “Sunday Telegraph”. Esses cientistas denunciam que o debate sobre o aquecimento global foi “seqüestrado” por uma aliança de políticos, cientistas e ambientalistas que veiculam o suposto impacto catastrófico do C02 de origem humana.

Dr. Timothy Ball

Timothy Ball, ex-professor de climatologia na Universidade de Winnipeg, Canadá, já recebeu cinco ameaças de morte por duvidar do grau de influência do homem na mudança do clima.

O Prof. Ball aparece no documentário “The Great Global Warming Swindle”. Nele, vários cientistas defendem que o aquecimento global atribuído ao homem deixou de ser ciência e tornou-se religião que ignora toda outra explicação possível.

Richard Lindzen, professor de Ciência Atmosférica no Massachusetts Institute of Technology denuncia que os “cientistas que dissentem do alarmismo têm visto desaparecer seus financiamentos, seus trabalhos foram postos em derrisão, e eles próprios foram etiquetados de lacaios da indústria”.

Cientistas abandonam idéia do “aquecimento global” gerado pelo homem


Eminentes cientistas abandonaram a idéia de que o aquecimento global seja obra do homem ou da civilização. Agora engrossam as fileiras dos “céticos” em relação a essa alarmista teoria, após revistarem novos estudos, constatou o senador americano Marc Morano.

O senador acrescentou que os mais prominentes destes cientistas recusam a tentativa de criar um falso consenso sobre o aquecimento da Terra. A tentativa têm como aríetes o ex-vice-presidente Al Gore e órgãos da ONU, com a decisiva participação da macrocapitalismo publicitário.

O senador Morano apresentou o que seria apenas o topo de um iceberg de cientistas que se opõem à histeria ambientalista, e anunciou que apresentaria no Senado uma outra lista muito mais extensa ainda.

sábado, 1 de setembro de 2007

Nevada histórica ridiculariza ecologistas


"Bota a culpa no aquecimento global”, uivava o roqueiro na tela da TV Argentina, que transmitia o festival rock-ecológico mundial Live Earth, promovido em 100 locais de oito países pelo guru do ecologismo radical, o ex vice presidente americano Al Gore.

Enquanto isso ocorria, os olhares dos espectadores estavam fixos nas janelas. Uma nevada excepcional, em meio a intensas ondas polares, chegou até Buenos Aires [foto], fenômeno este que só acontecera em 1918! O país parou completamente. Crianças e adultos brincaram alegremente na neve, pouco se incomodando com os slogans catastrofistas e a fanática pressão a respeito de um suposto e apocalíptico “aquecimento global”.