Para atualizações gratis via email: DIGITE SEU EMAIL:

domingo, 14 de abril de 2013

Esboço de novo relatório do IPCC abandona fantasias aquecimentistas

Gráfico publicado pelo "The Daily Mail" de Londres
Gráfico publicado pelo "The Daily Mail" de Londres

Não são apenas os cidadãos que estão achando que o clima não está mais quente, mas também os próprios cientistas que há pouco pregavam o aquecimento global – escreveu o jornal britânico “The Daily Mail”.

O jornal apresentou dados a seu ver irrefutáveis, segundo os quais as predições oficiais sobre o aquecimento global foram “distorcidas catastroficamente” com um custo impressionante para os contribuintes.

Os britânicos teriam gastado inutilmente bilhões de libras esterlinas em impostos e subsídios para cortar emissões de gases estufa sem nenhuma razão séria.


O gráfico publicado pelo jornal foi elaborado pelo Dr. Ed Hawkins, pesquisador do National Centre for Atmospheric Science (NCAS) do Reino Unido e inclui as predições computacionais da temperatura mundial brandidas pelo famigerado IPCCIntergovernmental Panel on Climate Change – da ONU.

O gráfico aponta com incontrovertíveis pormenores que a velocidade do aquecimento global foi “maciçamente superestimada”. Ele mostra que não houve aumento estatisticamente significativo na temperatura média mundial desde janeiro de 1997, diz o jornal.

Por sua vez, o IPCC pretende publicar um novo relatório no transcurso do presente ano. E deu a conhecer o primeiro rascunho desse relatório a climatologistas eminentes.

À vista dele, esses cientistas passaram a admitir que não se verificarão os temores suscitados pela peregrina teoria do “aquecimento global”.


Entre as autoridades acadêmicas que reformaram seus pontos de vista figura Myles Allen, professor de Ciência de Geossistemas da Universidade de Oxford.

Ele até recentemente acreditava que o mundo ia para um catastrófico aumento da temperatura de mais de cinco graus Celsius num século.

Mas agora reconhece que “os temores vieram abaixo”, acrescentando que o aquecimento será significativamente inferior.

Prof. Myles Allen da Univ. de Oxford  reconhece que alarmismo veio abaixo
Prof. Myles Allen da Univ. de Oxford
reconhece que alarmismo veio abaixo
No fim do ano passado, o conceituado serviço de meteorologia inglês Met Office revisou suas predições aquecimentistas e anunciou que não aguarda mudanças até pelo menos 2017.

A perspectiva é que os próximos anos sejam mais frios do que o mais gélido cenário já imaginado. Confira: “Aquecimento global” parou há 16 anos, confessa ilustre órgão aquecimentista

O gráfico do Met Office ‘HadCRUT4’ foi feito com dados extraídos de mais de 30 mil postos de medição.

À vista dessa mudança do Met Office, Piers Forster, professor de Mudança Climática na Universidade de Leeds, declarou:

“O fato de as temperaturas globais na superfície da Terra não terem aumentado nos últimos 15 anos, combinado com o bom conhecimento das mudanças climáticas, tornam inverossímeis as estimativas exageradas”.

A professora Judith Curry, chefe do Departamento de Ciência Climática do prestigioso Georgia Institute of Technology, disse:

“Os modelos estão aquecidos demais. A tendência para a estabilidade das temperaturas globais na superfície do planeta será dominante por mais uma ou duas décadas”.

James Annan: aquecimentismo ficou  'cada vez mais indefensável'
James Annan: aquecimentismo ficou
'cada vez mais indefensável'
O proeminente ‘aquecimentista’ James Annan, do Frontier Research For Global Change, declarou também que as estimativas carregadas estão ficando “cada vez mais indefensáveis”.

Entre os chamados “céticos” a tendência obviamente é mais forte e tem um sabor de vitória.

O Dr. David Whitehouse, autor de um relatório publicado pela Global Warming Policy Foundation de Lord Lawson, declarou: “Estes dados mudam tudo. O aquecimento global não será mais um fator determinante em qualquer política energética”.

Para que absurdos dirigistas o extremismo ambientalista ter-nos-ia empurrado se a enganosa teoria do “aquecimento global antropogênico” tivesse sido imposta nos convênios internacionais concebidos para isso?

O leitor poderá constatar esses abismos de irracionalidade e anarquismo lendo na coluna ao lado, de fundo amarelo, as “profecias” e os depoimentos dos arautos do ambientalismo neocomunista.



4 comentários:

  1. Amigo, em uma tradução que fiz para o blog do Julio Severo, fiz a tradução do gráfico e do quadro de citações do Daily Mail. Acredito que você possa utilizá-los sem problema, uma vez que o material é de livre divulgação.

    http://juliosevero.blogspot.com.br/2013/04/a-grande-farsa-verde-n-1.html

    ResponderExcluir
  2. Um complemento interessante dessa materia seria a noticia (Examier.com) do afastamento do governo Obama de Steven Chu,chefe da agencia de energia e de Lisa Jackson, chefe da agencia do meio ambiente.Mas o afastamento que merece mais comemorações é o do IPCC Rajendra Pachauri, um engenheiro ferroviario indiano que enriqueceu as custas do aquecimento global.

    ResponderExcluir
  3. Senhor Luis Dufaur um caso bastante preocupante, enquanto nós conhecemos vários casos juríticos que se arrastam há anos, inclusive sobre homicídios, invasões, latrocínios... Eis um aqui em Manaus em tempo recorde:

    Transporte ilegal de carvão é julgado em quatro dias:

    http://www.portaldoholanda.com/amazonas/transporte-ilegal-de-carvao-e-julgado-em-quatro-dias

    Enquianto há casos muito mais relevantes que o sistema jurídico não prioriza.

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.