Para atualizações gratis via email: DIGITE SEU EMAIL:

domingo, 15 de março de 2020

Na França, lobos “protegidos”
proliferam e dizimam rebanhos

Lobos em parque francês
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs








Após intensa pressão “verde”, a França repovoou seu território com lobos, que se tornaram “espécie protegida”.

Mas eles se multiplicaram tanto e estão fazendo tanto dano, que o país aplicou no período 2013-2017 um “Plano Lobo” para conte-los de alguma forma.

Só em 2012, os 250 lobos controlados atacaram 5.848 animais de criação, informou o jornal de Paris “Le Figaro”.

No jargão burocrático, a França tentaria uma “gestão diferenciada” dos predadores em função das regiões e dos rebanhos.

“Preferiríamos sempre um plano democrático – como se os lobos fossem sensíveis à democracia – antes que o projeto fosse aprovado”, explicou Benoît Hartmann, representante da associação France Nature Environnement.



Lobo ibérico
No projeto, os senadores aprovaram a criação de “zonas de proteção reforçada contra o lobo”.

Frase rebuscada para dizer que os pastores poderão matar as feras sem autorização prévia.

“O governo deveria se opor a essa lei”, disse Delphine Batho, ministra socialista de Meio Ambiente.

Ela insistiu que os predadores estão protegidos pela Convenção de Berna.

Mas a cólera dos criadores de ovelhas assusta o governo.

Os lobos foram reintroduzidos na década de 90 na região dos Alpes.

Em poucos anos eles ampliaram em 25% sua área de ataque.

Em 2008 atacaram “apenas” 2.680 animais, em 2011 fizeram 4.920 vítimas, e em 2012, 5.848.

O governo tentou apaziguar as críticas permitindo “novas modalidades de cálculo” para aumentar o número de lobos que podem ser abatidos cada ano, explicou a contragosto a ministra do Meio Ambiente.

Entretanto, havia malandragem no texto, tendo a ministra verde limitado a 11 o abate dos lobos no período 2012-2013.

Lobos cinzas (Canis lupus) em Yellowstone, uma espécie espalhada pelos verdes na França
Lobos cinzas (Canis lupus) em Yellowstone, uma espécie espalhada pelos verdes na França
As intrigas burocráticas, especialidade dos ecologistas amantes da natureza, acabaram dando no pior: em novembro de 2019 a onda invasora que havia partido dos Alpes chegou até o Atlântico e tinham sido visualizados lobos predadores em cinco novas regiões, informou "Le Monde".

Segundo The National Geographic: os lobos estavam aumentando de maneira exponencial, tendo o governo contabilizado pelo menos 530 exemplares em 2019.

Os estragos cresceram na mesma proporção. Lobo não é bichinho de conto de Chapeuzinho Vermelho, mas animal perigoso para os animais e para os homens.

Mas, o ecologismo radical tem uma estranha afinidade com tudo o que mata e destrói as vidas e a produção bem organizada.


2 comentários:

  1. Não se preocupe: Quando os lobos forem maioria farão parte do cardápio. Aí os verdes para justificar as verbas governamentais protegerão as ovelhas.
    É só uma questão de mudança de hábito alimentar.

    ResponderExcluir
  2. Quem semeia :colhe ventos e tempestades de vária ordem .

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.