Para atualizações gratis via email: DIGITE SEU EMAIL:

segunda-feira, 13 de junho de 2011

“Pepinos assassinos”: quando o “ecologicamente correto” toca na realidade

Paciente infectado com E.coli, Alemanha

A imprensa abundou em informações sobre a crise gerada na Europa pelos mal chamados “pepinos assassinos”, “concombres tueurs”, e outros apelativos criados pela fantasia do sensacionalismo publicitário.

No ponto de partida encontra-se uma epidemia da perigosa bactéria Escherichia coli (E.coli, abreviadamente), que causou 35 mortes e intoxicou 3.000 pessoas, especialmente na região de Hamburgo, Alemanha.



A velha e perigosa E.coli é talvez a bactéria mais estudada pelos homens (cfr. Wikipedia). Ela é muito conhecida pelos seus efeitos letais ou gravemente danosos para o homem, exigindo especiais prevenções de tipo fito-sanitário.

A Alemanha pôs a culpa nos pepinos espanhóis, incluindo os “orgânicos” e “ecologicamente corretos”. Os germânicos são famosos pelo seu zelo em controlar a saúde alimentar e favorecer as culturas “orgânicas”, mais “verdes” e menos agro-capitalistas.

A denúncia alemã gerou graves danos aos produtores espanhóis, causando-lhes prejuízos na ordem de 400 milhões de euros.

Restaurante não serve pepinos, tomates e alface. Luebeck, Alemanha
Mas, como os “pepinos contaminados” não apareciam, a culpa foi então passando para os tomates e alfaces. A histeria levou restaurantes a anunciar que não forneceriam refeições com esses vegetais.

A suspeita se estendeu a produtos da França, Holanda e Itália.

A União Européia exigiu da Alemanha que parasse de dar alarmes, pois os mesmos estavam se revelando falsos e danosos para o comércio e criando animosidade recíproca entre os europeus.

A propaganda “verde” mal conteve seu regozijo ante mais esta má conseqüência da agricultura que utiliza métodos agro-industriais.

Mas o equívoco não durou muito.

Brotos de feijão de granja orgânica espalharam a bactéria
Afinal, segundo informou o jornal francês “Le Figaro”, as autoridades sanitárias alemãs declararam confirmada a fonte da difusão da bactéria letal: brotos de feijão produzidos pelo Gärtnerhof, uma granja de alimentos “orgânicos” ecologicamente corretos localizada em Bienenbüttel, na Baixa-Saxônia.


Entretanto o produtor não será punido, pois verificou-se que obedecia a todas as normas legais, informou a agência Reuters.

“Foram os brotos de feijão”, declarou Reinhard Burger, diretor do Instituto Robert Koch (RKI), em conferência de imprensa convocada em Berlim pelos três institutos sanitários federais responsáveis pela investigação.

A Alemanha ouviu com pasmo a confirmação de que as bactérias provinham de uma unidade de produção “biológica”, pois acreditava um pouco ingenuamente que os produtos “bio” estão como que livres de todo mal.

Bactéria cresceu em granja orgânica
A propaganda ideológica “verde” havia deformado a opinião pública alemã.

As bactérias – como a E.coli – existem e matam. Como também matam muitos outros fatores adversos que se encontram no planeta e exigem uma luta contínua do produtor para vencê-los.

O mito angelical de que uma sociedade liberada do capitalismo e das boas técnicas modernas de produção levaria a um edênica “reconciliação” com a natureza, não resistiu ao teste.

Segundo esse mito, o homem ecologicamente integrado com a Mãe Terra não teria nada a temer dela, pois não a exploraria como faz o agro-negócio. Ou, em termos da Campanha da Fraternidade, não a faria gemer...

A verdade é que a bactéria letal pode se desenvolver até nas melhores granjas “ecologicamente corretas” e matar homens, sem nenhuma consideração sentimental ou ideológica.

Neste vale de lágrimas a luta é constante e necessária. E se for bem conduzida dá excelentes resultados, como o demonstram nossos produtores rurais, que melhoram a cada ano.


10 comentários:

  1. O artigo fala da informação oficial e ignora que a mesma pode ser mentirosa para desacreditar os alimentos orgânicos. o autor do artigo, assim como o autor da informação oficial podem estar a serviço do Codex Alimentarius e da Bill S 510 americana, que pretendem acabar com a alimentação natural e saudável. daí sim, as pessoas verão que falta fazem os nutrientes naturais. este é um artigo de desinformação a serviço das forças a favor da agenda de redução populacional! o que o artigo afirma, seguindo raciocínios tortuosos, é: "vamos comer comida industrializada, esta sim é que é boa!!!"

    ResponderExcluir
  2. A bactéria em causa só se propaga no meio da porcaria, ou mais correctamente, da FALTA DE HIGIENE! Todos sabemos que os vegetais têm de ser lavados e até desinfectados, mas os alemães não.

    Sabem quantos banhos/duches tomam os alemães? 2, cada 3 (três) semanas! E nem pensem que há higiene parcelar! -estudos europeus. Devem pensar que estraga a pele...
    Irene Lopes

    ResponderExcluir
  3. O anônimo disse que o artigo condena a agricultura orgânica. Falso, o artigo condena a estupidez.

    É claro que a questão é de natureza higiênica. Não e o fato de plantar sem pesticidas que causa a contaminação por bactérias. Mas a ideologia verde ensina, falsamente, que "se formos bonzinhos com a mãe terra, ela será boazinha conosco". Se não houvesse essa mentalidade estúpida, haveria normas mais rígidas de higiene no uso de adubos orgânicos. Se não houvesse essa mentalidade estúpida, as pessoas lavariam muito bem os vegetais frescos. Mas as normas foram mal feitas, os produtores foram descuidados e os consumidores mais descuidados ainda. Não importa se o produtor usa esse ou aquele método, o importante e que seja cuidadoso com a higiene, e idem os consumidores. Não existe essa baboseira de “mãe terra boazinha”, existem e doenças e perigos, e os incautos se ferram mesmo.

    ResponderExcluir
  4. É lamentável essa apologia a favor dos inseticidas, herbicidas, fungicidas, e outros idas. Muito estranho um orgão que deveria zelar por esta obra do Criador, feita com tanta sabedoria, e que em vez disso anda descaradamente engrandecendo gente sem escrupulo que faz qualquer coisa por dinheiro. Que decepção !!!

    ResponderExcluir
  5. O VERDE É A COR DO COMUNISMO ???, ESSE TITULO OFENDE MINHA SENSIBILIDADE. É TRISTE. É REVOLTANTE.

    ResponderExcluir
  6. Não me surpreenderá se um dia quando os ecoesquizofrênicos começarem a difamar que com a alimentação de insetos, o homem mais uma vez estará responsável pela "quebra da cadeia cíclica da vida".

    Partindo desse principio, os ecoassassinos estarão exigindo que as pessoas reciclem suas FEZES e as obrigem a comer. É muito plausível já que essa "parano-esquizodemência" patológica travestida de politica está disseminada como uma metástase no mundo da informação.

    O mundo nunca se viu num perigo de massacre tão evidente quanto a disseminação dessa loucura que toma o planeta e a natureza como sua TESTA DE FERRO para difundir através do MEDO, uma nova onda de COMUNISMO que visem confiscar todos os direitos das pessoas.

    O mundo precisa de novos homens que contenham essa praga politicamente correta da sustentabilidade e do ecochatismo.

    ResponderExcluir
  7. "autor do artigo, assim como o autor da informação oficial podem estar a serviço do Codex Alimentarius e da Bill S 510 americana, que pretendem acabar com a alimentação natural e saudável"

    Claro e também está a serviço da CIA e dos illuminati, ah vá! me poupe de teorias da conspiração e falsas acusações

    ResponderExcluir
  8. Cada dia uma novidade em nome da população , do
    planêta , e quanto mais eu leio , mais penso como a MÍDIA nos faz (ou pensa sermos) imbecis. Coma isso
    beba aquilo, vista-se assim , dirija assado , etc.
    Tenho lido sobre alimentação e me lembrei de uma música do Roberto Carlos, "perigoso, ilegal ou engorda". Eu gostaria que alguém me respondesse
    POR QUE NÃO SE PROÍBE A COCA-COLA que em sua receita tem um "componente alucinógeno" ou seja
    derivado da droga COCA. Eu gostaria também , que alguém me explicasse POR QUE O PLANÊTA LEVOU BILHÕES DE ANOS PARA SER POLUÍDO POR ANIMAIS???
    Ora, houve época na história humana em que não havia transporte coletivo com combustíveis variados , muito menos eletricidade, os viajantes ,chegavam aos burgos em carroças, puxadas por cavalos, de camelos , carros de boi nas terras criavam-se caprinos, ovinos equinos e outras espécies de quadrúpedes, aves , etc.
    ESSA GENTE FALA SOBRE O QUE DESCONHECE E ESQUECE-SE QUE VIVEMOS NUM LUGAR QUE JÁ EXISTE A BILHÕES DE ANOS COM CULTURAS DIVERSAS , DE UMA HORA PARA OUTRA DE UM DIA À OUTRO SURGEM "NOVIDADES" QUE SE LEVADAS À CABO REVELARÃO CADA VEZ MAIS A ESTUPIDEZ HUMANA. A minha resposta à essa gente é que a poluição animal que tanto citam de fato existe a partir dos seus genitores
    pois eles poluiram o mundo com o que há de pior na raça humana.

    ResponderExcluir
  9. Dizer que o verde é a nova cor do comunismo é elogiar, indevidamente, os comunistas. Por outro lado, a negação do aquecimento global é ato que desacredita o site.

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.