Para atualizações gratis via email: DIGITE SEU EMAIL:

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Tubarão assassino cuja espécie é protegida multiplica mortes na Austrália

Tuburão branco pegando foca
Tuburão branco pegando foca

O surfista Benjamin Linden, 24, não teve tempo de reagir quando um “tubarão branco” saiu à superfície, cortou-o pelo meio e levou seus restos para o fundo do mar na praia de Wedge Island, ao norte de Perth, Austrália.

Um banhista de jet-ski conseguiu afastar o tubarão e recuperar a metade do dorso de Linden, informou o diário britânico “The Telegraph”.

Os ataques desses enormes e ferozes tubarões na costa oeste da Austrália se tornaram mais frequentes desde que foram declarados “espécie em perigo de extinção”.

O ministro australiano da Pesca, Norman Moore, mostrou-se muito deprimido pelo fato de que com a proteção esses tubarões estejam proliferando tanto. Mas o que esperava o ministro? Esses tubarões não têm outros inimigos senão os homens e algumas baleias.


Wedge Island, local da ocorrência
Wedge Island, local da ocorrência
Por sua vez, o primeiro-ministro do estado da Austrália Ocidental, Colin Barnett, usou argumentos ecologistas para defender a proteção, arguindo que o “oceano é o meio ambiente do tubarão e que se formos tomar banho correremos sempre risco”. Ecologia livre com tubarão livre para matar!

Segundo “The Telegraph”, a onda de mortes está levando a sociedade australiana a questionar a proteção ambientalista aos “tubarões brancos”.

O tubarão que matou Benjamin Linden está sendo procurado. Contudo, para certos ambientalistas, a diminuição dos seres humanos ajuda para atingir o “desenvolvimento sustentável” do planeta.



Um comentário:

  1. Durante algum tempo estive ligado à proteção ambiental,através de um órgão estatal.À época vi-me apaixonado pela defesa do meio ambiente,tendo por ele me esforçado a fazer cumprir a legislação.Algumas vezes entendi haver preciosismo e exagero em certas medidas ambientais.Hoje compreendo que,embora a proteção ambiental seja importante,os preciosismos e excessos tem que ser retirados da legislação e licenciamentos ambientais.Reconheço que muito das leis formam "cortinas de fumaça",para objetivos políticos ideológicos, e que,através das leis é exercido uma "limitação sobre o cidadão",exigindo uma dependência e subserviência ao Estado.Há todo um universo de más intenções por trás de argumentos protecionistas,há complexidade exagerada em licenciamentos para confundir e controlar o cidadão. De outro lado,há malevolamente a deposição de entraves,empecilhos e dificuldades nitidamente projetadas para impedir o desenvolvimento humano e econômico.Lamentavelmente,vemos essa praga crescer, tal como, " a bolha assassina",engolindo a tudo e todos.Lanço um alerta: "leiam nas entrelinhas o que dizem os ambientalistas radicais,seus projetos e meios utilizados,verão que eles desejam nos controlar,manipular e nos causarem problemas,dificuldades e prejuízos.O pior de tudo,é que por trás disso tudo,eles não desejam beneficiar o meio ambiente,e sim, implantar o comunismo,a escravidão e a miséria.Após isso feito, irão explorar em benefício próprio,tudo que nos negaram.Leiam a Encíclica do Papa Francisco, verão como o Vaticano se traduz, se identifica e se transformou em um núcleo comunista e, a Encíclica mostra a sua doutrinação,orientações e até meios,para a aplicação de mais uma lâmina comunista.

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.